PARQUES NACIONAIS e as concessões

A MIRA-SERRA, através de sua coordenadora-presidente, expressou opinião sobre matéria polêmica, no Jornal Metro, de Brasília:

O estímulo ao turismo, no entanto, recebe críticas de fora do ICMBio. “Atrair público em massa não é a principal finalidade das unidades de conservação da natureza. Se não houver um acompanhamento de perto, existe o risco de degradação do ambiente”, avalia Lisiane Becker, coordenadora da ONG ambiental Mira-Serra e conselheira do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), do governo federal. Até atividades aparentemente inofensivas, segundo ela, podem levar riscos à natureza. “Marcação de trilha, por exemplo, às vezes se faz uma raspagem e marcação com spray em locais onde pode haver líquens e fungos ainda nem catalogados”, exemplifica.

Outros ambientalistas, porém, consideram benéfico o aumento de turistas em parques. “Se isso for feito com cuidado, com critério, é excelente. Porque nós, da área ambiental, a gente tem pouco contato com o público. A gente não consegue passar nossa mensagem, não conseguimos convencer a população do quanto é importante a questão da biodiversidade. E uma das formas de fazer isso é botar as pessoas para ver de perto”, defende Magnus Severo, analista ambiental do Parque Nacional Lagoa do Peixe, em Mostardas (RS).”

Veja a matéria completa em https://www.metrojornal.com.br/…/concessao-abre-racha-sobre…

foto: Nívia Franzen (associada MIRA-SERRA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *